DIAGNÓSTICO, TRATAMENTO E PREVENÇÃO DA ALVEOLITE EM EXODONTIAS

Antonio Esildo Costa Filho, Alexandre Maranhão Menezes Neto, Glauber Victor Cabral de Morais, José Henrique Abdon Menezes

Resumo


Introduçáo: Dentre as complicações pós-operatórias em odontologia, a alveolite é uma das mais comuns, logo o conhecimento adequado de tal patologia, por parte do cirurgiáo dentista, é uma ferramenta essencial de diagnóstico, tratamento e prevençáo. Objetivo: O presente trabalho propõe descrever as características clínicas da alveolite, além de apresentar o tratamento e formas de prevençáo para tal complicaçáo. Métodos: Os dados foram coletados a partir de uma revisáo de literatura nas bases bibliográficas Scielo, Lilacs e Medline. Resultados: A alveolite apresenta um grande problema para a prática clínica e um desconforto para o paciente. Sua incidência é variável, estando presente em 2% a 6% das extrações dentais, sendo mais comum em exodontias isoladas e em alvéolos de molares inferiores. A faixa etária mais acometida é de 30 a 40 anos, com predileçáo pelo sexo feminino. A alveolite pode ser classificada de acordo com as suas características clínicas, em alveolite seca ou úmida. Para cada classificaçáo há um tratamento peculiar e uma forma de prevençáo. Conclusáo: Ao apresentar-se como uma das complicações pós-operatórias mais comuns das exodontias, o conhecimento sobre a alveolite torna-se indispensável ao cirurgiáo-dentista, que deve estar apto a diagnosticá-la, tratá-la e, especialmente, preveni-la.

Palavras-chave: Alveolite; tratamento; prevençáo.